Segunda-feira, 13 de Abril de 2009
Tunas, surf e Elisa Ferreira

 

Que me perdoem Saõzita Ribeiro e Teresa Oliveira(por quem nutro muita consideração) mas eu definitivamente não gosto de tunas. Ouço repetidamente e a música parece-me sempre a mesma. Faz-me lembrar aqueles anúncios de cabelereiros que encontramos por ai nos jornais, com mais frequência nos mais antigos. “Veja o antes e o depois, constate as diferenças provocadas pelo produto x”. Eu sei que não tenho grande sensibilidade para as questões académicas, mas, como eu costumo dizer, existem indivíduos mais dotados para o estudo do que os outros. Eu faço parte do segundo leque. Digamos que me considero um auto-didacta amador: leio e pesquiso com frequência, mas sem qualquer tipo de obrigação, fiel ao estilo “you study just because you like it”. Se me arrependo? Não! Portanto, mais do que não gostar da música, a exaltação dos valores académicos através da música pouco ou nada me diz!
 
Falei de duas mulheres, e se existe algo que as mulheres costumam fazer em relação ao desporto para o caracterizar é torná-lo primitivo. Assim, o futebol passa a ser uma modalidade praticada por 22 energúmenos atrás de uma bola. Eu sou um profundo apreciador de desporto e, confesso, se pudesse trabalhar unicamente para o futebol seria um individuo muito realizado. No entanto, sou um profundo apreciador da maior parte das outras modalidades, com excepção de uma: o surf. Tal como as mulheres, entendo que se trata de um desporto em que um artolas se tenta manter numa tábua por algum tempo. Não percebo qual o interesse, pontuação e dispêndio de energia nesta actividade. Se o mundo fosse construído à minha imagem, no rol dos eventos dispensáveis colocava as tunas junto à praia, cantando as suas melodias enquanto decorria um campeonato de surf. Porque afinal de contas, e olhando pela minha imaginação, vai tudo dar ao mesmo.
 
Estando a escrever este post em plena cidade do Porto, olho para a minha direita e vejo um cartaz da candidatura de Elisa Ferreira à Câmara do Porto. Confesso que a mensagem transmitida, sem qualquer teor político, me gera uma certa irritação em relação à candidata em questão. Sempre que a vejo retratada está a sorrir compulsivamente. Das duas uma: ou eu não consigo captar a mensagem transporta, e aí encontro-me no mesmo patamar das tunas e do surf, ou então Elisa Ferreira sofre de espasmos neuro-labiais. A mim simplesmente me irrita tanto dente!
 


publicado por Gil Nunes às 17:19
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo Blog

Gil e a Igreja

Memórias dos 30 - O Pesad...

Auto-brincadeiras: todos ...

Memórias dos 30- Emanuel ...

Memórias dos 30 - O Marte...

Memórias dos 30 - Estrela...

O besouro(150 dias até ao...

Polonia -dia 1

A vodka é a principal cau...

arquivos

Abril 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Agosto 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Junho 2004

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
subscrever feeds