Sábado, 18 de Abril de 2009
O sangue belga de "Always on my Mind"

 

Os frequentadores habituais deste blogue sabem que um dos países pelo qual eu nutro especial simpatia é a Bélgica. Não me vou aqui debruçar sobre os motivos, até porque no arquivo podem descobri-los com facilidade. Contudo, a partir da Europa Central quero fazer uma pequena analogia com o eventual significado de uma música que as rádios me fazem ouvir todos os dias, sem excepção, desde há uma semana a esta parte.
Os que me conhecem melhor sabem, também, que tenho alguma fé e, como tal, acredito que por vezes a Natureza fala connosco, mesmo da forma elementar. As coincidências também existem, por certo, mas a regularidade com que sou bombardeado com “Always on my mind” dos Pet Shop Boys(adaptado do Elvis Presley) é algo que devo registar.
Constato este fenómeno e lembro-me de mais um filme da minha infinita colecção de policiais de Hercule Poirot. Em “Testemunha Silenciosa”, um cão assistiu a toda a cena do crime, havendo o desafio de fazer o animal comunicar todos os passos do crime e identificar o assassino.
A ouvir a música, passa-se sensivelmente a mesma coisa. Não que me vá inteirar fastidiosamente do que ela possivelmente me quer transmitir(seja eu emissor ou receptor) mas gostava que existisse uma espécie de “Bob”, com “sangue belga”, que me pudesse ajudar.
Maybe I didnt treat you quite as good as I should
Maybe I didnt love you quite as often as I could
Little things I shouldve said and done, I never took the time
You were always on my mind
You were always on my mind

Maybe I didnt hold you all those lonely, lonely times
And I guess I never told you, Im so happy that youre mine
If I made you feel second best, Im so sorry, I was blind
You were always on my mind
You were always on my mind

Tell me, tell me that your sweet love hasnt died
Give me one more chance to keep you satisfied
Satisfied

Little things I shouldve said and done, I never took the time
You were always on my mind
You were always on my mind

Tell me, tell me that your sweet love hasnt died
Give me one more chance to keep you satisfied

You were always on my mind
You were always on my mind
You were always on my mind
You were always on my mind
You were always on my mind
You were always on my mind

Maybe I didnt treat you quite as good as I should
Maybe I didnt love you quite as often as I could
Maybe I didnt hold you all those lonely, lonely times
And I guess I never told you, Im so happy that youre mine

tags:

publicado por Gil Nunes às 20:23
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo Blog

Gil e a Igreja

Memórias dos 30 - O Pesad...

Auto-brincadeiras: todos ...

Memórias dos 30- Emanuel ...

Memórias dos 30 - O Marte...

Memórias dos 30 - Estrela...

O besouro(150 dias até ao...

Polonia -dia 1

A vodka é a principal cau...

arquivos

Abril 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Agosto 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Junho 2004

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
subscrever feeds