Segunda-feira, 20 de Abril de 2009
Dissertação sobre o stress(ou falta dele)

Considero-me um verdadeiro fugitivo do stress. Entendo que a existência do stress pressupõe uma primeira escolha nos nossos problemas. Por outras palavras, entre optar por stress ou consequência, prefiro a segunda escolha, até porque é mais fácil de resolver. A solução para o stress passa por um caminho emocional (menos controlável) enquanto que a consequência é contornável por via do pensamento e do raciocínio.

 
Lembro-me da minha juventude, quando um professor mais filosófico me perguntou o queria da vida. “Ter um estilo que me permita a máxima tranquilidade”, respondi, e acho que no seio daquela turma fui o mais sincero. De facto, para quem me conhecer bem, poderá ver que não menti naquela ocasião. No rol das escolhas, profissionais ou pessoas, na maior parte das vezes escapo à alta tensão, preferindo arcar com as consequências.
 
Obviamente está que sinto ansiedade e um pouco de stress, tal como os outros seres humanos. Considero que, nesse capítulo, a minha mente é uma mansão arrumada em que um maníaco pelas limpezas entende que há sempre algo para colocar no sítio. No entanto, observo atentamente o stress dos outros. Brincam com o plástico da esferovite, apertam objectos adequados, e não quero com isto colocar em causa o seu modo de vida, as suas escolhas, apenas constato.
 
Eu confesso que quando quero “arrumar a casa arrumada”, faço algo que me dá algum prazer, muito embora para a maior parte das pessoas possa parecer estúpido. Pego em garrafas de vidro e despejo-as no vidrão. Confesso que no final da tarefa sinto uma certa sensação de alívio. Lembrei-me disso mesmo quando revi no sábado “Beleza Americana”, quando Carolyn Burnham confessou aliviar o stress com uma sessão de tiros ao alvo. Como não sou violento, aqui fica a minha resposta, bem mais ecológica!


publicado por Gil Nunes às 16:45
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Joaninha a 20 de Abril de 2009 às 23:26
Este post é interessante... Nem sempre as consequências são muito agradáveis, sentir stress ou até ansiedade de vez em quando é controlável, mas imagina uma pessoa que sente isso constantemente e dessa consequência surgem consequências piores! Alivio bem o stress se me deixarem dar um belo de um grito, se me deixarem caminhar pela praia e sentir o cheiro a maresia...
Este teu post dá pano para mangas.
Bjinhos


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo Blog

Gil e a Igreja

Memórias dos 30 - O Pesad...

Auto-brincadeiras: todos ...

Memórias dos 30- Emanuel ...

Memórias dos 30 - O Marte...

Memórias dos 30 - Estrela...

O besouro(150 dias até ao...

Polonia -dia 1

A vodka é a principal cau...

arquivos

Abril 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Agosto 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Junho 2004

tags

todas as tags

links
Fazer olhinhos
subscrever feeds