Quarta-feira, 7 de Maio de 2008
Seja razoável, exija o impossível!

Ontem, num jantar de amigos, foi feita uma análise do meu grau de exigência em relação às coisas, sobretudo no aspecto pessoal. Confesso que neste parâmetro estão a ser feitas esforços para mudar, mas sem dúvida que noutros dossiers acho que nunca hei-de pensar da mesma forma.

 

Acho que não sou um indivíduo perfeccionista mas sou extremamente competitivo. Penso que aquele slogan "Seja razoável exija o impossível" se adequa bem na minha maneira de ser. Lembro-me de um episódio na Polónia que ilustra bem esta perspectiva. Estava eu no Fórum de Gliwice a ver montras, com nenhuma das peças a despertar o meu interesse. Ou porque tinha folhinhos em cima, ou porque o corte era demasiado formal ou informal, por pouco que não deixei o país da roupa barata sem adquirir nenhuma peça.

 

Muito tempo depois, vi um casaco fantástico na montra de uma loja, a Reserved. Como um miúdo corri e adquiri o casaco, sem olhar para o preço. Não vi mais nenhuma montra e tranquilamente dirige-me até ao carro, trazendo a mesma peça para Portugal.

 

A pedido de várias famílias, tenho feito algum esforço no sentido de ter mais alguma abertura em relação às coisas. E até se notam progressos em algumas coisas:

 

-Quando vou à Blockbuster já visito a secção das artes marciais, leio algumas sinopses e já cheguei a alugar um filme;

 

- Já tentei ler uma revista de carros;

 

- Tenho tentado jogar outros jogos de computador para além do Football Manager;

 

- Depois de almoço, tenho tentado outros sítios para tomar café;

 

- Vejo alguma roupa barata;

 

- Tenho tentado ter alguma razoabilidade institucional em relação ao Café Piolho(a minha opinião mantém-se);

 

- Já saí com mulheres que não considero espectaculares do ponto de vista da combinação física e psicológica;

 

São pequenos nadas que estou a tentar rectificar. Como os outros dizem, não custa nada tentar ser um pouco menos quadrado, embora eu ache a definição exagerada. Mas não esperem que me torne circular, pois seria perder a minha autenticidade!

 


tags:

publicado por Gil Nunes às 16:44
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De Sallinger a 8 de Maio de 2008 às 17:49
A minha alma está parva com a profundidade e dimensão dos teus critérios de exigência. Acho que realmente estamos em presença do arquétipo do homem renascentista, combinando-se a frivolidade com filosofia de café e uma pitada de presunção. O resultado final é um discurso pseudo-intelectual e pretencioso, revelando-nos o vazio que preenche essa cabeça tão pouco iluminada.

Acho que os teus critérios de exigência precisam de uma revisão urgente.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo Blog

Gil e a Igreja

Memórias dos 30 - O Pesad...

Auto-brincadeiras: todos ...

Memórias dos 30- Emanuel ...

Memórias dos 30 - O Marte...

Memórias dos 30 - Estrela...

O besouro(150 dias até ao...

Polonia -dia 1

A vodka é a principal cau...

arquivos

Abril 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Agosto 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Junho 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds