Sexta-feira, 29 de Agosto de 2008
Deixem pedalar o Sérgio Paulinho!

 

Ao longo da história dos Jogos Olímpicos, apenas 22 atletas (individuais ou colectivos) tiveram o privilégio de conquistar uma medalha para o nosso país. Se tal feito lhes pode conferir o estatuto de elite e de real serviço público prestado, há pessoas que não pensam assim.
 
Contra todas as previsões, Sérgio Paulinho conquistou a medalha de prata na prova de ciclismo em Atenas 2004. Naturalmente, passou a receber um subsídio estatal para realizar a sua preparação para os Jogos de Pequim. Alegando problemas de saúde-asma- o atleta decidiu permanecer em Portugal, pois no seu entender não estavam reunidas condições para uma boa prova.
 
A partir do momento em que foi conhecida esta decisão, levantaram-se vozes no sentido da crítica em relação ao subsídio, afirmando o aproveitamento do atleta em relação ao dito subsidio e do seu “descanso à sombra da bananeira”.
 
Em face dos factos, devo defender Sérgio Paulinho. A meu ver, parece-me mais que legítimo que um atleta que conquiste uma medalha olímpica deva ser apoiado. Como já disse, não é um feito muito comum neste país e o montante em causa, 1250 mensais, não me parece de todo uma exorbitância. Imagine-se que o atleta tinha participado na prova e desistido poucos minutos depois. Por certo, ninguém ousaria contestar o seu profissionalismo.

Do mesmo modo, entendo que há circunstâncias bem mais graves de desperdícios de dinheiros públicos neste país. Poderia falar do caso do aeroporto ou da nova ponte sobre o Tejo, mas nem preciso de sair da dimensão desportiva. Será que os dez estádios construídos para o Euro 2004 tiveram uma visão sustentável de utilização? Onde estão as pistas de atletismo, a modalidade que mais medalhas olímpicas deu ao nosso país? Em suma, entendo que enquanto não se proceder a uma revolução de mentalidades que impeça estas medidas, não estarmos equilibrados no que ao desporto diz respeito. Uma maior sensatez na oferta de infra-estruturas nas mais diversas modalidades e uma aposta mais efectiva nas camadas jovens dos clubes e no desporto escolar pode representar uma força de estímulo necessária à conquista de mais títulos.
 
Em vez de cinco potenciais medalháveis, façamos um esforço para elevar esse número. A bem de todos…e já agora deixem pedalar o Sérgio Paulinho!

tags:

publicado por Gil Nunes às 16:41
link do post | favorito

Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo Blog

Gil e a Igreja

Memórias dos 30 - O Pesad...

Auto-brincadeiras: todos ...

Memórias dos 30- Emanuel ...

Memórias dos 30 - O Marte...

Memórias dos 30 - Estrela...

O besouro(150 dias até ao...

Polonia -dia 1

A vodka é a principal cau...

arquivos

Abril 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Agosto 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Junho 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds