Segunda-feira, 22 de Setembro de 2008
Jesualdo

 

Tem experiência, muita experiência! É talvez o seu trunfo mais valioso e arma de arremesso para quem o intitula de pouco arrojado. De facto, Jesualdo Ferreira tem nos anos de profissão glórias e derrotas que o fazem ver as prestações da sua equipa de uma forma global, não olhando para o resultado imediato mas sim para o triunfo final.
 
Lembro-me das suas características quando o observo, sereno e com a palma da mão segurando o queixo, no banco do Estádio da Luz. Qualquer estadia no cinema da Batalha é pura coincidência! Nesse período, é José Gomes quem toma a iniciativa. Gesticula, corrige, incentiva os jogadores. Jesualdo a tudo assiste com a serenidade de um velho das montanhas.
 
No ano passado, com catorze pontos de vantagem, o mesmo sucedeu frente ao Sporting. Ganhar ou perder no caso pouco importava, até porque Jesualdo não concorre à Copa BES. Na ocasião, retira um dos extremos do onze e coloca Marek Cech, testando quatro homens no centro do terreno, a tal receita necessária para a sua equipa conquistar dimensão europeia. O F.C.Porto falhou e o seu técnico percebeu ainda faltar um longo caminho, como ficou comprovado na partida frente ao Schalke. O F.C.Porto controlou o jogo mas não o dominou. E os alemães, mais toscos e menos compactos, seguiram em frente na prova dos milhões.
 
Mais do que todos os outros aspectos do jogo, Jesualdo Ferreira sabe que o jogo frente ao Benfica pouco lhe interessa em termos pontuais. São mais três pontos, por acaso o adversário é o rival de sempre. Na sua sabedoria acumulada, sabe que os campeonatos se ganham frente ao Trofense, Leixões, Paços de Ferreira ou Rio Ave. Ai é que a máquina não pode falhar! Obrigatório ganhar!
 
E a sineta tocou em Vila do Conde. Entrando de forma amorfa no jogo, os dragões poucas oportunidades construíram na primeira metade, deixando o cronómetro caminhar por si em vez de fazerem o contrário. A trinta minutos do apito final, Jesualdo Ferreira aposta no ataque, pois sabe que os três pontos são essenciais, mais importantes que aqueles em disputa frente ao Benfica. Criando oportunidades para tal, a equipa não encontrou argumentos para chegar ao golo, chegando ao final do jogo com a sensação de frustação. Afinal, três pontos são três pontos!
 
Para a semana venha o Paços de Ferreira! Calculo que Jesualdo olhe para esta partida como uma das mais importantes da época. Vencer e convencer, para se adquirir novamente um hábito de regularidade, segredo da melhor equipa portuguesa dos últimos anos. O Arsenal e o Sporting depois logo se vêem…

tags:

publicado por Gil Nunes às 12:25
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo Blog

Gil e a Igreja

Memórias dos 30 - O Pesad...

Auto-brincadeiras: todos ...

Memórias dos 30- Emanuel ...

Memórias dos 30 - O Marte...

Memórias dos 30 - Estrela...

O besouro(150 dias até ao...

Polonia -dia 1

A vodka é a principal cau...

arquivos

Abril 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Agosto 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Junho 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds