Quarta-feira, 23 de Março de 2005
Com a verdade me enganas!
O titulo é de um popular concurso apresentado por Herman José mas por certo ilustra um pecado que todos já cometemos: contar meias verdades, esconder ou distorcer o que de facto se passou. Enfim, por outras palavras, mentir!
O primeiro dia do mês de Abril permite ao simples mortal mentir sem qualquer problema. Aí podemos dar asas á nossa imaginação, dizendo as maiores barbaridades e passando incólumes. Aliás, a falta de punição é apenas o que distingue este dia dos restantes 364. Um estudo científico realizado pelo brasileiro Roque Theophilo mostrou que o ser humano mente cerca de 200 vezes por dia, o que dá uma média de uma vez em cada cinco minutos, se tomarmos em linha de conta que dormimos sete a oito horas por dia. É muita peta!
No entanto, há que distinguir os diversos tipos de mentira para termos a proporção exacta do nosso delito verbal. Assim, a frase “Esse penteado fica-te mesmo bem” pertence á categoria dos falsos elogios, a maior parte das vezes usada para satisfazer uma senhora acabinha de chegar do cabelereiro. Este é o tipo mais comum de mentira, sendo usado numa lógica de gentileza e de cortesia. Noutra esfera, quando dizemos “Não vim trabalhar porque furei um pneu do carro e não tinha suplente” estamos a utilizar uma frase pertencente à categoria de desculpas esfarrapadas. São normalmente usadas em fase de desespero quando não temos nenhum argumento minimanente racional para convencermos o nosso receptor. Acompanhadas de tremuras e de gaguez são facilmente denunciáveis. Por último temos as mentiras descaradas. Um bom exemplo deste tipo de peta é a apresentação do jogador de futebol à imprensa. Frases do tipo “ Sou benfiquista desde pequenino” ou “ A minha primeira escolha foi sempre vir para este clube” pertencem a este grupo, que dificilmente persuade o receptor. Já estão tão batidas que fazem parte de um tipo de discurso apelidada de mitomania global, ou seja, toda a gente sabe que é mentira mas com o tempo já a vamos tomando como verdade.
As causas da mentira são várias, indo desde o receio das consequências, à vergonha( sinal mais primitivo de inteligência), à falta de auto-estima ou à aceitação social. As consequências, essas, é que podem ir de um extremo ao outro. A mentirita banal pode levar à risada ténue enquanto que o ataque ad-hominem, feito sem escrúpulos, pode ter consequências judiciais severas.
Já viu que não pode fugir desta avalanche! Seja como fôr, e dado que a mentira é mesmo uma verdade inquestionável, deixo-lhe aqui um conselho. Minta! Mas minta para fazer alguém feliz! Faça da mentira um instrumento de paz entre todos, porque já diz o adágio “ Uma mentira bem contada é bem melhor que uma má verdade”


publicado por Gil Nunes às 11:48
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


posts recentes

Novo Blog

Gil e a Igreja

Memórias dos 30 - O Pesad...

Auto-brincadeiras: todos ...

Memórias dos 30- Emanuel ...

Memórias dos 30 - O Marte...

Memórias dos 30 - Estrela...

O besouro(150 dias até ao...

Polonia -dia 1

A vodka é a principal cau...

arquivos

Abril 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Maio 2009

Abril 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Agosto 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Dezembro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Junho 2004

tags

todas as tags

links
subscrever feeds